Campus de Goiabeiras - Vitória

Em homenagem aos 67 anos da Ufes, sessão de filmes e debate sobre história do Cine Metrópolis

Como parte dos eventos de celebração pelo aniversário de 67 anos da Ufes, comemorado em 5 de maio, a Secretaria de Cultura (Secult) da Universidade exibe uma sessão de quatro filmes cuja temática aborda a história do Cine Metrópolis, sala de cinema sediada no campus de Goiabeiras, através do movimento cineclubista.

A sessão faz parte do Painel Ufes de Cultura: Breve história do cinema na Ufes, que traz, também, debates com os cineclubistas e realizadores das obras. A transmissão dos filmes acontece por meio do endereço https://youtu.be/Y4W7eeK_vGM e o bate-papo está disponível no canal da TV Ufes no YouTube.

A programação conta com os curtas "Banda 2" (1991), de Marcos Valério Guimarães; "O homem que sonhava fotografia" (2009), de Sebastião Ribeiro, mais conhecido como Tião Xará; "Insurreição de Queimados" (2002), de Cloves Mendes; e "Baía do Espírito Santo" (2014), de Antônio Claudino de Jesus. Além desses quatro produtores, o debate contou com a participação da cineclubista Penha Padovan e foi mediado por Lara Toledo, da Organização dos Cineclubes Capixabas (OCCA).

O título do Painel faz referência a um artigo do jornalista e cineasta do ciclo do cinema amador capixaba da década de 1960 Paulo Torre, publicado em dezembro de 1968 no Jornal da Semana, suplemento de debate do jornal O Diário.

História

O Cineclube Universitário foi criado em 1974, no antigo Centro de Estudos Gerais (atual Centro de Ciências Humanas e Naturais – CCHN), onde salas de aula eram adaptadas para se transformarem em salas de cinema que ajudaram a formar gerações de cinéfilos e realizadores.

“Além de relevante espaço de formação cinematográfica, o movimento cineclubista foi um importante movimento social e político de resistência durante a Ditadura Militar, entre 1964 e 1985”, lembra o produtor cultural do Cine Metrópolis Vitor Graize, curador do Painel.

Os anos 1970 ainda deram origem a outras iniciativas, como o surgimento de salas de exibição nos cursos das áreas de Engenharia, Biologia e Ciências Biomédicas. Segundo integrantes do movimento cineclubista, é possível dizer que a Ufes tinha, nos anos 1980, 14 cineclubes no campus de Goiabeiras, três em Maruípe e um em Alegre. Nesse período, o movimento se articulava nacionalmente, com a reorganização do Conselho Nacional de Cineclubes e, regionalmente, com a Federação dos Cineclubes do Espírito Santo.

Os cineclubistas Claudino de Jesus, Mariza Teixeira, Penha Padovan, Cloves Mendes, Tião Xará, Marcos Valério Guimarães, Adilson Ferreira e Margarete Taquete já se destacavam no cenário cultural, alguns deles por meio da realização de filmes. “São apenas alguns entre tantos estudantes, servidores técnico-administrativos e professores que mantiveram a atividade em funcionamento, mesmo após a consolidação do Cineclube Metrópolis como sala de cinema da Ufes”, ressalta Graize.

Painel

Painel Ufes de Cultura é um projeto da Secult que aborda, mensalmente, temas ligados à cultura capixaba. No dia 25 de maio, será realizado um novo evento, com debates sobre Cultura, economia criativa e desenvolvimento: perspectivas da microrregião nordeste do Espírito Santo.

Na ocasião, artistas, produtores culturais e representantes dos campi de São Mateus da Ufes e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) discutirão como as instituições podem contribuir para a cultura e para o desenvolvimento das cidades do norte do estado.

 

Texto: Adriana Damasceno
Edição: Thereza Marinho

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910